Tudo na categoria

Textos

Bem-vindo Dezembro!

O último mês do ano chegou! BEM-VINDO DEZEMBRO *-*

natal

Último mês do ano, mês das festas, mês de fechar notas no colégio e na faculdade, aniversários e mês de completar algo. Dezembro é um novo mês e se você correr atrás ele pode te surpreender muito mais do que você imagina. Aproveite cada dia deste mês, começando por hoje, aproveite tudo o que você puder, pois quando chegar no último dia do ano, boas lembranças serão recordadas.

Aproveitem muito, agarrem dezembro com todas as forças, tentem fazer algo de diferente neste mês. Vá atrás do que te faz feliz, mude, permita-se e não deixe que o ano acabe do mesmo jeito que ele começou. Faça com que você diga que 2014 valeu a pena apesar de todos os obstáculos que você enfrentou. Pegue tudo de bom que aconteceu e multiplique.

Não se esqueçam, é o último mês do ano, vocês tem 30 dias para fazer a diferença no ano ou até na vida de vocês. Corram atrás do prejuízo causado pela infelicidade, decepção ou qualquer outra coisa. Vá atrás da sua felicidade, comecem 2015 sorrindo e dizendo: MEU ANO VALEU A PENA!

The path of (my) dreams | via Tumblr

Que em dezembro seus sonhos se realizem e que a felicidade de vocês seja eterna. Que em dezembro vocês consigam fazer a diferença. Muito amor, paz e que nada estrague os últimos dias deste ano maravilhoso. Eu desejo tudo de bom a cada um de vocês que são meus leitores e que vocês estejam comigo em 2015 para comemorar 2 anos do blog.

Dezembro pode surpreender vocês, mas tudo depende das escolhas de cada um.

O fim

the flower girl | via Tumblr

Em tempos de amores de Tinder, Whatsapp e tantas outras redes sociais é difícil imaginar que os jovens de hoje ainda sofram por amor, não é mesmo? Tendo como refrões dos grandes hits da atualidade como base, notamos que a tão citada “lei do desapego” funciona como nunca. É um tal de “hoje não, me perdeu!”, “sua casa caiu”e “sai do meu pé” que as vezes parece que nunca foi tão fácil deixar alguém, esquecer algo que ocupou um certo tempo em sua vida.

Mas e nós? Nós que vivemos e sentimos à moda antiga? Que sabemos que “quando a gente ama qualquer coisa serve para relembrar”? Será que para nós, toda vez que um relacionamento chega ao fim, todo esse processo de se readaptar tem que ser mais difícil? São tantas perguntas, que chega parecer injusto sofrer tanto por um amor que nos deixou, enquanto ”as pessoas dessas músicas” estão bem, firmes e tão fortes, como se nada tivesse acontecido.

Saindo um pouco do universo do sertanejo, para nós o término de um relacionamento soa mais como na música “tempos modernos” (que hoje, ao que me parece, não eram tão modernos assim aqueles tempos), onde sabemos que “ainda vai levar um (bom) tempo pra fechar o que feriu por dentro”. E de fato, é natural que seja assim mesmo. Como seria fácil esquecer aquela primeira conversa com a pessoa amada? Aquela primeira viagem? Tantas e tantas fotos que você quer tanto apagar, mas falta coragem pra isso. Não, não é possível que seja tão fácil assim apagar parte do seu passado em questão de dias.

A verdade é que: quando realmente existe amor, não é fácil superar. Por trás dessas letras que pregam o desapego, com certeza houve um bom (e necessário) tempo de sofrimento, pois todos passamos pelo mesmo processo: primeiro vem o fim, depois aquele momento em que você se deita e em prantos, pensa “e agora?”. Parece que seu mundo vai acabar, que você perdeu o rumo (e de fato perdeu) e que você nunca vai voltar a sorrir novamente.

Eis que surgem algumas pessoas que vão te ajudar a se levantar, pessoas que com poucas palavras vão fazer você perceber que aos poucos sua vida vai voltar ao normal (e aquele rumo que você trilhava com seu antigo companheiro não existe mais, mas que é possível fazer uma nova rota, como em um GPS), pessoas que, mesmo distantes, só querem o seu bem. Todo amigo já passou pela mesma situação, e sabe exatamente o que é preciso fazer para passar por essa fase complicada, é impressionante. E finalmente, você consegue superar o fim e quando olha para trás, se lembra com carinho de tudo que viveu, e esse é o grande segredo da vida: guardar as lembranças boas, viver o seu presente sem ficar se apegando ao que já passou. Acabou!

“Existem os finais felizes e os finais necessários”

– Andres Bustamante.

Autoestima

Leia ouvindo: Beyoncé – Pretty Hurts

Se eu te perguntasse aqui, agora, ”você se ama?” você seria sincera comigo? Tem certeza que você está feliz com a sua aparência, seu corpo, seu jeito de viver? Eu aposto que não, você não está. Mas tudo bem, sabe porque? Porque nós somos assim mesmo, temos essa loucura de achar defeito onde não tem, de nos preocuparmos onde não há motivo.

Chega a ser ridículo esse padrão de beleza imposto pela sociedade, o que eles querem com isso? Ninguém aqui é uma Barbie não, ninguém aqui quer ser uma boneca de plástico sem nenhuma utilidade. Então, pra que se importar com isso? Você prefere que as pessoas te julguem pela sua aparência, ou pelo o que você realmente é?

My name is Jovana Rikalo :) | via Tumblr

Não vamos ser ignorantes e falar que a aparência não importa, porque importa sim. Mas e daí? Você quer ser bonita igual a fulana pra que? Você tem a sua beleza, acredite. Aliás você é única no mundo, já pensou nisso? Até pessoas que possuem irmãs ou irmãos gêmeos tem lá as suas diferenças. Diferenças existem, e elas são fundamentais.

Todo mundo conhece, ou já ouviu falar sobre alguém doente devido a baixa autoestima. Isso é mais comum do que a gente imagina, é perigoso, mata. E ainda tem gente que acha isso um motivo de piada, é o que eu sempre digo: gente sem coração. E eu aposto que têm muita gente lendo esse texto aqui e que também está com a autoestima no fundo do poço. Me faz um favor? Coloque uma Beyoncé agora e vá dançar, vai ser feliz! Seja exatamente o que você é, SE AME MAIS POR FAVOR.

E pelo amor de Deus pare de tentar ser o que você não é, e começe a dar valor ao que você tem de bom. Não digo só na aparência não, digo também na sua personalidade, o seu jeitinho de ser. Sorria mais, se ame mais, se divirta, porque a única pessoa que deve se importar com o que você faz ou deixa de fazer, é você mesmo.

– Isabella Prado

BlogFan Page

Hoje é Saudade – Crônicas na Agulha

Pessoal, está rolando no Senac Santo Amaro, SP (03 a 07 de novembro) – uma exposição relacionando crônicas e músicas. Minha sala que organizou o evento (Publicidade e Propaganda), e convido vocês pra irem conhecer. A página no facebook é: Crônicas na Agulha, curtam e compartilhe com seus amigos.

10414494_10153260104294942_4615449607431679561_n

Eu escrevi minha crônica baseada na música do Bruno Mars, When I was your man. E vocês podem conferir mais nove músicas e crônicas na exposição, vale a pena conhecer!

 

Hoje eu resolvi falar de você, da saudade e das lembranças que me acompanham nessa solidão. Eu só queria você aqui comigo, como nos velhos tempos. Eu amava o seu jeito sério e meio seco de ser, às vezes até me irritava, mas seu sorriso logo compensava. Eu amava o seu beijo, seu abraço, seu carinho e o seu cheiro. Eu só quero que você entenda que eu não gosto quando você vai embora. Não gosto quando você esconde o que sente. Não gosto quando você não me dá a menor bola. Eu só quero você aqui comigo, a qualquer momento.

O tempo passou, mas eu queria poder te falar tudo que sinto, e te dizer o quanto você é importante para mim. É impossível não pensar em você. Queria ser o suficiente, te arrancar sorrisos e suspiros, queria poder te fazer a mulher mais feliz desse mundo, olhar nos seus olhos e dizer o quanto eu te amo, mas é uma pena nossa história ter acabado assim.

Foi a pior sensação que já senti em minha vida. Ter que ir embora, quando tudo o que eu mais queria era ficar. Eu nunca precisei de ninguém pra me dizer o certo e o errado, apontar meus erros, eu nunca precisei de ninguém pra absolutamente nada, nem pra sorrir. Mas eu precisava de você.

Eu me cansei, e acordar sozinho se tornou uma rotina. Ser uma pessoa fria quando se trata de sentimentos não é mais uma opção, e sim sobrevivência. E eu não sei mais o que é felicidade, não sei a cor, o gosto ou o cheiro. Felicidade se torna uma palavra, apenas uma palavra. E aí está uma das coisas mais tristes da vida: Se conformar com a infelicidade. Eu sei que fui orgulhoso, e que o meu ego atrapalhou o nosso amor. Sei que eu estava errado, e hoje não posso desfazer toda a bagunça que causei. Então por que acreditar no amor quando tudo é dor, e decepção? Das mil coisas que eu deveria ter dito e nunca disse, só restou uma: é preciso seguir em frente.

Deixar alguém ir embora é fácil, difícil mesmo é você ter que ir, virar as costas e partir; você sempre tão complicada, e com uma capacidade para me fazer sorrir. Você era a melhor definição de pessoa que eu tinha em mente, você era sorrisos, olhares e beijos quentes. Você era, porque escolheu ser. Se você soubesse que eu te queria perto, bem perto de mim, talvez você não tivesse ido atrás de outro. E hoje estou aqui caminhando, tentando me reerguer com um sorriso no rosto, mas você sabe onde me encontrar, então me procura enquanto eu ainda quero ser encontrado por você.

 – Sthefani Monteiro

Amar as coisas mais simples

O dia tem quantas horas mesmo? Me parecem ter 10 horas ultimamente. O tempo tem ficado curto pra quantidade de coisas que temos na lista de afazeres. E em meio a toda correria que se torna os nossos dias, tendo tão pouco tempo pra fazer tanta coisa, a gente acaba deixando pra lá coisas realmente valiosas. Venho falar hoje sobre o nosso direito, e sim d-i-r-e-i-t-o de fazermos coisas que amamos, de sermos quem amamos ser.

Untitled | via Tumblr

Há quem ame ouvir música, há quem ame ler, ame escrever, há quem ame dormir, comer, filmes, shopping, pinturas, games. Infinidades de amores. E esse amor não tem que ser julgado por ninguém. E daí se sou louca por roupas, e por montar look, e por me arrumar, e por escrever sobre tudo isso aqui? E se eu não amo só isso? E se eu também amo escrever histórias, imaginar meu futuro, desenhar, assistir filmes inspiradores? Não precisamos amar somente uma coisa e ninguém pode criticar o que amamos.

O amor tem de ser leve e particular, sem dedos apontados ou alfinetadas indiscretas. Assumir suas paixões pode ser libertador. Criticar paixões alheias pode ser amargurador. Por isso vamos abrir nosso coração, achar um tempo, mesmo que mínimo, pra fazermos aquilo que amamos. Afinal são essas coisas que tornarão nossos dias mais leves, prazerosos e marcantes. Chega de ter sempre os mesmos dias cansativos e monótonos, cheio de reclamações e gostos amargos.

É hora de tornar a vida mais bonita, de colher histórias pra contarmos mais tarde. Não é importante se julgam banal essa paixão que você tem por desenhos animados, se assistir à esses desenhos te faz feliz feito criança então sente no sofá por 30 ou 60 minutos e assista. Não é importante se você vai parecer louca se fizer caretas nas fotos ou até sozinha no espelho, só pra você rir de si mesma, se isso te liberta e te anima o dia, então corra pro espelho. É simples, sem segredo nenhum. A gente precisa se amar mais. A gente precisa amar mais.

Sim ao direito de amar o que quiser. E por favor, sem julgamentos dos amores alheios. Cada coração sabe o que o faz querer pular de paraquedas. Só o seu coração é capaz de entender seus gostos e paixões. Liberte-se. O tempo é curto pra gente viver amarrado!